Lançado em: 03-03-2017

ESPIRITUALIDADE

A quaresma de São Francisco

O tão verdadeiro servo de Deus, Francisco, foi, em algumas coisas, como um outro Cristo dado ao mundo, porque Deus Pai fez esse homem tão feliz ser conforme ao seu Filho. Foi isso que apareceu no sagrado ambiente de seus santos companheiros, no mistério admirável dos estigmas da cruz, e no jejum contínuo da santa quaresma.

Como ele estava no território de Perusa, perto do lago, foi hospedado num dia de carnaval por um homem que tinha devoção por ele. São Francisco rogou-lhe, por amor de Cristo, que o levasse de noite, isto é, antes do dia das Cinzas, para que ninguém percebesse, para uma ilha do lago em que nenhuma pessoa morava. O hospedeiro, pela grande devoção que tinha para com ele, fez isso com todo cuidado. Por isso, levantou-se de noite, preparou uma barca e, no dia das Cinzas, levou São Francisco para a ilha suspirada. São Francisco não levou nada para comer, a não ser dois pãezinhos.
Quando desembarcou na ilha, rogou ao seu portador que não contasse nada a ninguém e que não o procurasse a não ser na Quinta-Feira santa. O portador foi embora da ilha e São Francisco ficou sozinho. Como não havia nenhuma casa onde pudesse reclinar a cabeça, entrou numa moita fechada, onde os espinheiros tinham formado uma espécie de abrigo. Aí ficou imóvel durante toda a quaresma, sem comer nem beber nada.

Na Quinta-feira santa, o hospedeiro foi procurá-lo, como tinha dito. E descobriu que dos dois pãezinhos, a não ser a metade de um, nada mais tinha sido tocado. Acredita-se que São Francisco tocou essa metade para deixar a glória do jejum de quarenta dias para o Cristo bendito, expelindo o veneno da vanglória com aquele pouquinho de pão. De modo que, a exemplo de Cristo jejuou quarenta dias e quarenta noites (cfr. Mt 4,2).
No lugar em que São Francisco celebrou tão admirável penitência, foram feitos muitos milagres por seus méritos. Por todos eles, as pessoas começaram a construir casas na ilha e, pouco tempo depois, surgiu uma aldeia grande e boa, e também um lugar dos frades chamado “na Ilha”. As pessoas da aldeia ainda demonstram uma grande reverência ao lugar onde São Francisco celebrou aquela quaresma.
Para o louvor do Senhor Jesus Cristo, que é bendito pelos séculos. Amém.

(dos Atos do bem Aventurado São Francisco Cap VI )



ÚLTIMOS LANÇAMENTOS

Lançado em: 23-09-2017

É preciso voltar a Assis !


Lançado em: 31-08-2017

Clara, a luz de São Damião - Ordem de Santa Clara ou Clarissas?


Lançado em: 10-08-2017

Francisco e Clara, dois enamorados, mas de quem?


Lançado em: 22-07-2017

Encerramento do VIII Centenário do Perdão de Assis, será presidido pelo cardeal Parolin


Lançado em: 17-07-2017

Francisco de Assis, visitado pelo Senhor