Lançado em: 22-04-2019

Domingo de páscoa de Ressureição

Nesse dia de páscoa, todos os cristão festejam Cristo ressuscitado dos mortos. Uma vida nova se introduz na atmosfera e nos corações. A ressureição é o fundamento da fé de todo cristão. Quem celebra a ressureição tem a consciência da importância da vida. A vida é um dom precioso de Deus e o Cristo ressuscitado mostra esse dom na sua plenitude.
É importante entender que, o retorno de Jesus à vida não é simplesmente um retorno de um morto à vida. Ele não ressuscitou para morrer de novo como Lázaro. Ele nasceu do céu. É o primogênito dentro os mortos, e com isso indica que a morte não é uma fatalidade, mas é uma passagem para a vida em Deus.
Todo batizado é inserido no mistério de Cristo morto e ressuscitado cada batizado é chamado a seguir Jesus Cristo e a confirmar a própria vida a dele, caminhado sempre novidade da vida. A experiência com o Cristo ressuscitado deve ser uma realidade semanal de cada comunidade, pois cada Eucaristia é celebrada esse mistério de amor e da renovação na vida dos fiéis. Porque a vida cristã é fundamentalmente vida em Cristo pelo dom do Espírito, fruto da páscoa.

A Igreja, quando celebra cada ano a páscoa, entra no mistério da morte e ressureição de Jesus. Ele em comunhão com o seu corpo e torna-se um só corpo com Ele e com os irmãos; e assim, participa do seu destino que é á ressureição na vida que brota de sua entrega. Quando a comunidade se reúne para a celebrar o mistério de Cristo, Ele mesmo, por seu Espírito, vai transformando os corações de todos os participantes para que assuma de verdade os valores da ressureição.
O caminho de configurar com Cristo se dá pouco a pouco, no itinerário pedagógico espiritual que o ano litúrgico apresenta. Durante o ano litúrgico, que tem como eixo e fundamento a páscoa, o cristão vai progressivamente inserindo-se no mistério pascal de Jesus Cristo. Trata-se da recriação do ser humano, adquire a forma de Jesus Cristo ressuscitado, segundo o Espírito de Deus. É um processo lento e sofrido, e ao mesmo tempo alegre e esperançoso, que deverá durar até a morte de cada seguidor e seguidora de Jesus. Perfazendo seu próprio caminho pascal, cada pessoa está ao mesmo tempo participando e colaborando na páscoa de todo tecido social, de toda realidade cósmica, até à comunhão , com Deus quando será tudo em todo.

A Igreja apresenta o Senhor ressuscitado para que todos os membros perceba a vitória da vida sobre a morte. A morte não é o fim, mais um processo para chegar até Jesus Cristo ressuscitado. Mas também, a Igreja ensina que a ressurreição começa na realidade de cada ser humano que decide livremente seguir Cristo luz das nações e que abraçar a ressurreição é abraçar todos os irmãos e irmãs que comungam do mesmo ideal , como também, aqueles e aquelas que não comungam da mesma fé, mas contemplando o ser humano que é filho e filha do mesmo Pai.
Só entende a páscoa quem ama. Por isso, os dois discípulos saiem correndo ao túmulo. Porém, chegar primeiro não significa ter mais condições físicas, e sim do amor. quem ama corre mais, chega antes e crê. Quem não ama chega depois, olha, mas volta para caso perplexo. O discípulo amado se solidarizou com Jesus no amor. Ele crê porque ama, pois o amor gera fé e assume o compromisso de ser portador da vida nova.

Pesquisado e escrito por Frei Fernando de Araújo,OFMconv.



ÚLTIMOS LANÇAMENTOS

Lançado em: 14-07-2019

Papa nomeia Card. da Rocha membro da Congregação para o Clero


Lançado em: 08-07-2019

Diante da paz, o que significa o mistério da cruz?


Lançado em: 02-07-2019

Vaticano: Beato John Henry Newman vai ser canonizado a 13 de outubro


Lançado em: 01-07-2019

Canonização de Irmã Dulce e mais quatro beatos será no dia 13 de outubro


Lançado em: 30-06-2019

Solenidade de São Pedro e São Paulo